Dezembro 7, 2021

História

Dia 1 de Junho de 2007 marcou o início da atividade da Federação Portuguesa de Paintball.
Foi nessa data que ficaram registados em notário os estatutos da Federação Portuguesa de Paintball.
Foi mais um pequeno, mas importante, passo para a organização e desenvolvimento do de um desporto que tem uma das mais altas taxas de crescimento e para o qual a Federação é um contribuinte importante.
Estes primeiros passos são resultado de um grupo de trabalho, nesta fase ainda de número reduzido. Este grupo de trabalho – a comissão instaladora – tem, fruto dos regulamentos registados, uma duração limitada.
Até lá, serão cridas as condições base para um normal funcionamento de uma organização deste tipo, com o desejável incremente do número de membros do grupo de trabalho e a participação ativa de todos os Paintballers nacionais. Só assim se consegue completar as competências adicionais necessárias para regulamentar e propor melhorias nas diversas áreas de atuação do que deve ser uma federação de um desporto credível e com um passado que se deve orgulhar e um futuro que nos tem que deixar orgulhosos.
A atuação da Federação, no imediato e de uma forma genérica, pretende adicionar valor ao que de bom já existe e se vem fazendo em Portugal.
A começar pelo Campeonato Nacional – que se integrou na FPP – e passando por todas as iniciativas de âmbito mais ou menos local que se pretende homogeneizar, para sabermos que, sempre que se fale de Paintball, seja ele de competição ou recreativo, estamos a falar de um desporto, onde existe justiça desportiva, condições de segurança, igualdade de oportunidades e uma entidade que assegura essa justiça através do seu símbolo, que é garantia de qualidade.
São vários os projetos em desenvolvimento no momento e muitos mais os que se pretendem desenvolver no futuro. Durante os próximos tempos irão certamente aparecer mais notícias. Iremos manter a forma de trabalhar que acreditamos ser a mais correta para esta fase de um projeto que é de todos mas que precisava que alguns o colocassem em movimento: propor, ouvir, fazer e anunciar depois.